Em busca do primeiro trabalho

A história nos mostra uma verdadeira revolução nas relações de trabalho, onde profissões se despontam e outras se retraem, tudo isso provocado por fenômenos tais como globalização, melhoria dos processos tecnológicos, redução de níveis hierárquicos. O mundo velho do emprego está acabando, ou seja, o emprego para toda a vida desapareceu.

A questão da empregabilidade é discutida em todos os cantos, e a pergunta que nos fazemos é: O que as empresas estão buscando? Por que são tão exigentes?  Será que basta ter bons cursos, idiomas e saber informática? Serão estes fatores a garantia para um bom emprego? Na verdade estes aspectos são importantes e imprescindíveis,  eles nos permitem entrar no jogo, porém não nos dão garantia de vitórias. Nos dias de hoje, existem pesquisas que apontam a causa mais provável para demissão e para a dificuldade em conseguir trabalho: falta de atitude e nem tanto o aspecto técnico.

Estamos vivendo a era do talento ( moeda de ouro), onde o profissional que as empresas procuram é aquele  que sabe propor soluções aos problemas, e que não apenas tragam respostas rápidas. O mercado pede pessoas que ao se deparar com o inesperado, atuem de maneira não convencional, não robotizada, que tenham competências atitudinais. Podemos citar a capacidade de ouvir, saber falar, trabalhar em grupos, empatia, comunicabilidade, disciplina, bom humor, capacidade para agregar valores, enfim atitude positiva perante a vida. Essas atitudes não se adquire com a informação, mas sim com a formação. Ainda estamos muito preocupados com a informação mais do que com a formação. A informação está disponível em todos os lugares.  E para acessa-la é preciso ter atitudes, ou seja, vontade, iniciativa, concentração, capacidade de entendimento.
Portanto, as empresas querem pessoas que saibam como buscar as informações disponíveis. É isso que faz diferença.

Quanto ao talento, que é o que busca a empresa de hoje, todos nós temos. Se ainda não os temos pleno, pelo menos em potencial. Então a pergunta que devemos fazer quando estamos buscando trabalho é: ” Qual é  o papel que quero desempenhar no mundo? Qual é meu ideal? Qual a importância social do meu talento?
Em vez de olhar para o mercado  as pessoas devem olhar para si mesmas. ” Antes de tomar qualquer atitude, descubra quem você é, do que mais gosta, qual é o seu caminho. Assim você terá maior possibilidade de trabalhar com o que gosta e se realizamos as coisas com prazer e entusiasmo, teremos maior sucesso. A solução está em nós mesmos.

Quem está para entrar no mercado de trabalho tem que estar atento as transformações, as novas exigências e acima de tudo estar disposto  a investir em auto-conhecimento.

Lucia Helena Melo Mauro
Psicóloga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *